Home / Blog / Mercado Livre de Energia e a TI. Entenda como funciona!

Mercado Livre de Energia e a TI. Entenda como funciona!

Mercado Livre e a TI

Segundo o site www.mercadolivredeenergia.com.br “O mercado de energia no Brasil está dividido em ACR (Ambiente de Contratação Regulada), onde estão os consumidores cativos, e ACL (Ambiente de Contratação Livre), formado pelos consumidores livres. Quando falamos “Mercado Livre de Energia e a TI, significa a contratação de um provedor ACL, que atende na região, que em conjunto com a TI, controla o consumo de energia da empresa.

Entenda um pouco mais como funciona!

Os consumidores cativos são aqueles que compram a energia das concessionárias de distribuição às quais estão ligados. Não estão livres para a concorrência e são obrigados a contratar a concessionária que tem a outorga da região.

Os consumidores livres compram energia diretamente dos geradores ou comercializadores, através de contratos bilaterais, com condições livremente negociadas, como preço, prazo, volume, etc.

 

Mercado Livre de Energia

Onde a TI entra neste processo de Gestão, Monitoramento e Auditoria?

  • O mercado livre de energia tem um orgão regulador CCEE – Câmara de Comércio de Energia Elétrica;
  • O mercado livre utiliza como Relógio de Medição um equipamento ligado a internet afim de auditar a concessionária e os contratos de consumo;
  • A conexão de internet é feita em modelo seguro de VPN (Virtual Private Network) ou Túnel Ponto a Ponto de Conexão;
  • A segurança da VPN está baseada em criptografia com assinatura conhecida pelas duas pontas (Auditor – CCEE e Clinte – Consumidor);
  • A infraestrutura de conexão é provida e gerida pela Equipe de TI;
  • Este processo de conexão se repete para o Provedor da Energia, uma concessionária que vai disponibilizar a energia na rede e controlar o consumo afim de fazer cobrança pelo uso da energia

A Equipe de TI então, tem que criar uma conexão segura, monitorar o funcionamento da mesma e evitar interrupções deste túnel.

A responsabilidade é do cliente – Consumidor, de que todo este aparato Tecnologia da Informação, esteja operando e funcionando. Uma falha de interrupção pode justificar perda do contrato, multa e ações que nenhuma das partes quer. 

Mercado Livre de Energia e a TI

A Equipe de TI então, além de prover a INFRAESTRUTURA, precisa manter o funcionamento e a comunicação, entre a Concessionária e o Cliente, ou seja, a comunicação entre o orgão regulador CCEE e o Cliente.

Este processo envolve:

  1. Link de Internet;
  2. Servidor de Fronteira para estabelecer os limites entre a rede da empresa e a rede pública, garantindo segurança;
  3. Estabelecer a VPN entre o Cliente e a Concessionária para garantir a medição para questão de faturamento do consumo;
  4. Estabelecer a VPN entre o Cliente e a Auditora – CCEE, para garantir o cumprimento do contrato por todos os lados;
  5. Manter o serviço ativo e evitar interrupções.

O que estamos fazendo (Equipe INDICCA) para garantir uma melhor funcionalidade desta operação:

  1. Monitoramento ON LINE em tempo real da estrutura;
  2. Modernizamos a tecnologia da VPN com Mikrotik

Nagios

O Nagios é uma tecnologia Open Source disponível, que estamos customizando com regras de monitoramento e gestão preventiva. A condição do Mikrotik permitiu ainda atribuir vários serviços e otimizar a gestão de funcionamento.

Mercado Livre de Energia e a TI

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *