Home / News / Bitcoin a moeda virtual que precisa de Segurança da Informação

Bitcoin a moeda virtual que precisa de Segurança da Informação

Bitcoin a moeda virtual que precisa de Segurança da Informação

Bitcoin a moeda virtual que precisa de Segurança da Informação. A carteira Bitcoin é digital, está em um arquivo, como garantir segurança neste processo? O mercado é de investimento, o valor da moeda muda a cada instante em um mercado que funciona 24 horas. O patrimônio desta moeda está em um arquivo e vulnerável aos ataques cibernéticos e até falha do hardware. Como se proteger?

Como se proteger em um ambiente digital e com grande especulação?

Como se proteger? Talvez seja esta a questão de um milhão de dólares. Quando aceitamos estar em um mercado de risco, o risco é iminente. É preciso entender e saber como ele funciona para que se aceite ou não esta condição.

Há o risco da moeda desvalorizar. Existe a possibilidade, mas não parece que vá acontecer. Os gráficos e tendências apontam que a moeda ainda não chegou nem perto do patamar possível. Pelo visto, não se imagina ainda onde ela pode chegar.

No site BitcoinNEWS existe uma referência de uso da carteira ONLINE. Nele mostra que o site pode ser atacado e sua carteira ser pulverizada. Recomenda-se que a sua CARTEIRA de BITCOIN esteja Off Line em ambiente seguro. Quer saber mais veja neste link

No G1, a reportagem “Evolução do Preço do Bitcoin” traz mais detalhes para este gráfico de ganhos não imaginados.

 

 (Foto: Arte/G1)

 

Bitcoin a moeda virtual que precisa de Segurança da Informação

A parte financeira pode ser um RISCO que os economistas podem definir melhor. Falando de Tecnologia da Informação, a condição tem camadas que vão da utilização dos recursos disponíveis, atitudes de segurança e até as precauções que ensinamos para as crianças: “Não fale com estranhos!”.

O arquivo da Carteira Digital Bitcoin é digital e vai estar em um ATIVO, um computador, ou um Smartphone, com memória de armazenamento e capacidade de processamento para movimentá-la.

A segurança em ambiente digital está baseada em:

Tecnologia do Hardware

O computador mais novo, tem menos tendência a ter um problema. Computadores mais antigos, com muitas horas de trabalho, estão mais sujeitos às falhas;

A energia elétrica é uma fonte de vida digital eletrônica, mas também um risco. Uma falha, pode comprometer a condição de uso. Existem os Nobreaks, equipamentos de segurança para garantir a entrega da energia de forma mais estabilizada e continuada. Picos de Energia geram respostas inesperadas e nem sempre os computadores que foram desligados de forma acidental, sem o processo de desligar correto, recuperam 100% dos dados e arquivos.

Quando está se utilizando um Notebook (bateria acoplada), ele permite uma autonomia de uso sem conexão à tomada. Esta acaba sendo uma proteção natural do equipamento que também está presente nos Tablets e Smartphones. Os computadores de mesa é que acabam justificando a necessidade de Nobreak.

Tecnologia do Sistema Operacional

A parte de Software é um complicador, porque estão sempre sendo corrigidas e melhoradas. As vulnerabilidades são conhecidas e usadas nos ciberataques;

É necessário estar sempre alinhado com o fabricante, promover as atualizações homologadas, implementar as customizações recomendadas para questões de segurança. Necessário também monitorar os blogs de segurança para minimizar com as correções percebidas pela comunidade de informática.

Tecnologia das aplicações

Este é o ponto muito crítico, pois nem sempre sempre o usuário está atento. Uma vez que se adquiriu o hardware e colocou em funcionamento com o Sistema Operacional, não se enxergam mais problemas e eles existem.

Criar um login de acesso é uma demanda fundamental de segurança, ter uma senha complexa é uma questão de sobrevivência neste meio digital;

Implementar uma proteção de Anti Vírus é uma condição básica de Segurança da Informação. Estar acompanhando a fábrica de software, para avaliar as possíveis infecções e atitudes de proteção são complementos muito importantes.

Promover backup, cópia de segurança, são atitudes que acabam comprometendo mais todo este contexto de segurança. O backup precisa ser automático, fácil de ser monitorado, com alertas de falhas que justificam intervenção de correção. Importante também validar o processo de tempo em tempo com Restore da base copiada. Somente testando terá a confiança que o processo está correto e os dados protegidos.

Bitcoin a moeda virtual que precisa de Segurança da Informação

Ser um usuário com atitude de Segurança da Informação

Somos usuários e sempre damos a chance ao risco. Eventualmente sem conhecimento, facilitamos o risco. Ser um usuário seguro significa entender o tamanho do risco e ter ações de proteção.

  • Mantenha a senha de login segura;
  • Não publique a senha. Lembre-se, ela é unica e intransferível; só você, usuário, deve saber;
  • Crie uma senha complexa, com mais de 8 caracteres, que misture sinais, letras e números, principalmente maiúsculos e minúsculos.
  • Evite acessar contas de banco em ambientes públicos (Lanhouse ou similares)
  • Evite acessar através de Wi-Fi públicos
  • Entenda dos aplicativos de proteção e contingência

 

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *